HISTÓRIA
Reguengo_1_edited.jpg

Quinta do Reguengo

É um antigo reguengo que pertencia aos mais altos nobres da região. Trata-se de uma enorme propriedade com um palacete principal e outras casas anexadas. Nunca foi concluída a sua construção, logo também nunca foi habitada. Pode ser visitada, apesar do seu estado degradado. Situa-se em plena rua do Reguengo no lugar das sete pedras.

Castelo_edited.jpg

Monte do Castelo

Monte cónico com cerca de 324 metros de altitude, situado no lugar do Alto do Castelo, próximo da quinta do Reguengo.

Castro Mozinho_edited.jpg

Castro de Monte Mozinho

O Castro de Monte Mozinho localiza-se nas freguesias de Oldrões e Galegos.

Povoado castrejo de época romana, fundado no século I d.C. mas com uma ampla cronologia de ocupação, que chega mesmo a atingir o século V. Fortificado com duas linhas de muralhas, o castro possui uma extensa área habitada, com cerca de 22 hectares, e apresenta diversas reformulações urbanísticas, sendo possível observar vários tipos de construção, desde núcleos de casas-pátio de tradição castreja, com compartimentos circulares e vestíbulo, às complexas habitações romanas de planta quadrada ou rectangular. Na parte superior do castro destaca-se a muralha do século I, cuja entrada era flanqueada por dois torreões onde se encontravam duas estátuas de guerreiros galaicos, actualmente no Museu Municipal. O topo do castro é coroado pela acrópole, delimitada por um espesso muro e estéril em construções interiores. Aí se desenrolariam actividades várias, como jogos, assembleias, mercado, etc. As escavações no castro de Monte Mozinho tiveram início em 1943, retomadas em 1974, e desde então não mais pararam, podendo o espólio ser visto no Museu Municipal de Penafiel.